Pesquise
Seleccione os critérios de pesquisa
Seleccione os Filtros
Agenda
WORK IN PROGRESS
Exposição
DATA
HORARIO
LOCAL
01 a 03 Jun 2018
18:00 - 22:00
Museu de Serralves
A exposição "Work in Progress” encerra a 3 de junho, pelo que os visitantes do Serralves em Festa terão a última oportunidade para a visitar.

"Work in Progress” nasceu no contexto do projeto Arquitetura 3.0 – Promoção de Novos Modelos de Internacionalização, onde a Fundação de Serralves identificou a necessidade de promover o desenvolvimento de soluções arquitetónicas que contribuam para suprir as lacunas que se verificam ao nível da ausência de espaços expositivos em diversos territórios ou que se assumam como um adequado complemento, ainda que de carácter temporário, aos existentes.

Deste modo, a Fundação promoveu o concurso de conceção para um pavilhão expositivo e os dez trabalhos melhor classificados são apresentados nesta exposição, promovendo o debate em torno de soluções inovadoras.
ZERO EM COMPORTAMENTO: OBRAS DA COLEÇÃO DE SERRALVES
Exposição
DATA
HORARIO
LOCAL
01 a 03 Jun 2018
18:00 - 22:00
Museu de Serralves
A exposição "ZERO EM COMPORTAMENTO” inaugura no primeiro dia do Serralves em Festa, dia 1 de junho, e é uma ótima oportunidade para a ver em primeira mão. A exposição apresenta trabalhos de artistas portugueses e internacionais de diferentes gerações representados na Coleção de Serralves. O título é o mesmo do filme de 1933 do realizador francês Jean Vigo (Paris, França, 1905-1934) em que, num repressor colégio interno, com regras de comportamento muito rígidas, quatro rapazes decidem revoltar-se contra a direção da escola.

Através de uma grande diversidade de suportes (pintura, escultura, fotografia, cartazes, livros de artista, instalação, filme e vídeo), a mostra guia-nos pela iconoclastia, pelo total desrespeito pelas regras do bom gosto, do bom comportamento e do bem feito, pelo ataque a todas as figuras da autoridade que marcaram indelevelmente a arte dos últimos 60 anos.

Entre as estratégias aplicadas por estes artistas contam-se a apropriação desassombrada, a ligação a universos marginais à arte (e a figuras de facto marginais, nas franjas da sociedade), o recurso à violência e ao acidente, a reivindicação do amadorismo, do anti virtuosismo.

Esta exposição é organizada pelo Museu de Arte Contemporânea de Serralves e comissariada por João Ribas, diretor do Museu, e Ricardo Nicolau, adjunto do diretor do Museu e curador.
ARQUITETURAS MÓVEIS - PROJETO COM ESCOLAS 2017-2018
Exposição
DATA
HORARIO
LOCAL
01 a 03 Jun 2018
18:00 - 22:00
Museu de Serralves
Em 1956 quando o arquiteto húngaro radicado em Paris, Yona Friedman, fez o seu "Manifesto da Arquitetura Móvel” as viagens low cost ainda não despontavam no horizonte, a realidade do home office era algo que soava à ficção científica e a globalização ainda não havia recebido este nome. No entanto, seu génio precursor anteviu um mundo baseado na flexibilidade, um mundo móvel que pudesse se adequar às diferentes necessidades dos habitantes das cidades.

Tendo reconhecido a importância destes conceitos, o Serviço Educativo do Museu de Serralves escolheu-o como tema de reflexão para o Projeto Anual com Escolas do ano letivo 2017/2018. Após encontros com professores, um seminário com arquiteto e curadores, oficinas aos alunos e professores, Serralves propôs que cada turma, a partir da defesa de Yona Friedmann de que a arquitetura deveria ser participativa e participada construíssem uma edificação flexível.

Estes vários prédios irão compor um município adaptável e moldável, (seria essa uma cidade ideal?). Na exposição que reúne estes trabalhos, os visitantes poderão experienciar esta cidade que, adaptável e interativa, reflete sobre o equilíbrio com o meio ambiente, repensa formas de vida atuais e projeta outras maneiras de vivermos de forma mais harmoniosa.
A COLEÇÃO SONNABEND : MEIO SÉCULO DE ARTE EUROPEIA E AMERICANA . PART II
Exposição
DATA
HORARIO
LOCAL
01 a 03 Jun 2018
18:00 - 22:00
Museu de Serralves
Na sequência da apresentação em 2016 de "A Coleção Sonnabend. Meio Século de Arte Europeia e Americana. Part I”, o Museu de Serralves apresenta agora "A Coleção Sonnabend: Meio Século de Arte Europeia e Americana. Part II”, uma grande exposição dedicada à Coleção Sonnabend.

Criada pela influente galerista Ileana Sonnabend, a Coleção Sonnabend é considerada uma das mais importantes coleções de arte americana e europeia da segunda metade do século XX, e representa alguns dos movimentos fundamentais da arte ocidental dos nossos dias. Embora conhecida sobretudo pelo seu apoio aos protagonistas da arte pop, do minimalismo, da arte povera, do pós-minimalismo e da arte conceptual, Ileana Sonnabend deu continuidade ao seu compromisso até à sua morte em 2007. 

A Parte II aborda dois temas presentes na Coleção Sonnabend: o uso da fotografia, desde a Arte Conceptual dos anos 1960 até ao presente; e o trabalho de artistas dos anos 1980 relacionados com a Pop Art, o minimalismo e a arte conceptual. Uma apresentação de esculturas de Jeff Koons produzidas entre 1985 e 2012 constituirá uma pequena retrospetiva do icónico artista norte-americano. 

Comissariada por António Homem, a exposição em Serralves é organizada com a colaboração da Fondazione Musei Civici Venezia (MUVE), Ca’ Pesaro, em Veneza, e da Sonnabend Collection Foundation. 

Numa altura em que o Museu de Serralves dedica uma atenção cada vez maior à sua coleção de arte portuguesa e internacional, a Coleção Sonnabend assume uma relevância particular. Obras dessa coleção fizeram parte da exposição inaugural do Museu, "Circa 1968”, em 1999, e várias delas permaneceram em Serralves a título de empréstimo de longo prazo.

PROJETOS CONTEMPORÂNEOS: DAYANA LUCAS - ESPÍRITO MANUAL
Exposição
DATA
HORARIO
LOCAL
01 a 03 Jun 2018
18:00 - 22:00
Museu de Serralves
Durante o Serralves em Festa os visitantes terão a última oportunidade de ver a exposição "Projetos Contemporâneos: Dayana Lucas – Espírito Manual”, que encerra a 3 de junho. 

Na Galeria Contemporânea do Museu de Serralves, Dayana Lucas decidiu trabalhar com o espaço, ampliar e materializar algumas linhas dos seus desenhos e fazê-las conversar com o branco da sala. A composição deste desenho em que podemos entrar é dramaticamente alterada pela deslocação dos visitantes no espaço. Suspensas do teto, à medida que nos movimentamos as linhas parecem, numa autêntica coreografia, ganhar vida, encontrar-se, divergir.

Esta premeditada relação entre os corpos dos espectadores e o "desenho no espaço” é sublinhada pelo convite a que as peças sejam experienciadas enquanto se ouve uma música em que uma parte substancial do som é obtida através do movimento (circular, repetitivo) de um dedo a percorrer o bordo de um copo de vidro.

Esta exposição é organizada pelo Museu de Arte Contemporânea de Serralves e comissariada por Ricardo Nicolau, adjunto do diretor do Museu.