Pesquise
Seleccione os critérios de pesquisa
Seleccione os Filtros
Agenda
MARK FELL COM O DRUMMING - GRUPO DE PERCUSSÃO
Música
DATA
HORARIO
LOCAL
02 Jun 2018
18:00 - 19:00
Casa de Serralves
Concerto integrado no projeto A CARNATIC PARADIGM / THE ALGEBRA OF LISTENING de MARK FELL
APOIOS: DGARTES

A participação do Drumming-Grupo de Percussão no projecto "A Carnatic Paradigm/The Algebra of Listening” partirá da composição "Intra”, resultado da colaboração deste grupo com Mark Fell no contexto da série de trabalhos "Intermetamorphosis” que Fell apresentou em Serralves em 2017.

Nesta peça, revisitaram uma coleção de metalofones microtonais originalmente desenvolvidos pelo compositor Iannis Xenakis para a obra "Pléïades”. O Drumming-Grupo de Percussão emergiu no Porto em 1999. O grupo tem vindo a sintetizar a evolução da percussão erudita em Portugal e na própria cultura ocidental. Ganhou rapidamente a simpatia do público e das críticas, constituindo, na actualidade, uma referência na vida musical de Portugal. 

Desde 2001, o grupo tem contribuído para a divulgação de grandes peças contemporâneas e formado o seu próprio repertório com encomendas a dezenas de compositores nacionais e internacionais que têm explorado as mais diversas, variadas e imaginativas formas e modos de exprimir a percussão.
VISITA ORIENTADA AOS ESPAÇOS ARQUITETÓNICOS
Visita Orientada
DATA
HORARIO
LOCAL
02 Jun 2018
10:00 - 11:00
Parque de Serralves
02 Jun 2018
16:30 - 17:30
Parque de Serralves
02 Jun 2018
18:30 - 19:30
Parque de Serralves
03 Jun 2018
10:00 - 11:00
Parque de Serralves
03 Jun 2018
16:30 - 17:30
Parque de Serralves
03 Jun 2018
18:30 - 19:30
Parque de Serralves
Ponto de encontro: Entrada
Orientação: João Almeida e Silva 
Lotação: 25 pessoas (inscrições na tenda de acolhimento, na Entrada)

A Casa de Serralves e o Museu de Arte Contemporânea de Serralves, desenhada pelo Arquiteto Álvaro Siza Vieira, assim como o seu entorno paisagístico, foram classificados como Monumento Nacional no ano de 2012. As visitas aos espaços arquitetónicos dão a conhecer este património comum e chamam a atenção para os diálogos harmoniosos criados entre a arquitetura da Casa, a arquitetura do Museu e o desenho dos Jardins envolventes.
RIAN TREANOR & NAKUL KRISHNAMURTHY
Música
DATA
HORARIO
LOCAL
02 Jun 2018
19:00 - 20:00
Casa de Serralves
03 Jun 2018
00:00 - 01:00
Casa de Serralves
RIAN TREANOR & NAKUL KRISHNAMURTHY
Concerto integrado no projeto A CARNATIC PARADIGM / THE ALGEBRA OF LISTENING de MARK FELL

A colaboração entre o artista britânico Rian Treanor e o compositor indiano Nakul Krishnamurthy foi concebida em Chennai, na Índia, em 2016, durante a visita de Mark Fell e Rian Treanor como parte de sua exploração da música clássica indiana. Mais tarde ela foi desenvolvida para o festival Counterflows 2017, em Galsgow, integrando a apresentação de "A Carnatic Paradigm”. O projeto sintetiza princípios da música clássica indiana e da música radical realizada em computador.

A dupla constrói um multiverso rítmico fascinante, desenvolvido a partir do conhecimento de Krishnamurthy da composição processual na música carnática e da sensibilidade e experiência de Treanor na criação de sistemas geradores de padrões. Composições algorítmicas tomam forma através de um sistema de desenvolvimento contínuo, dissecação e modificação de códigos rítmicos e melódicos. Os padrões cíclicos e as complexas divisões de tempo são sustentados por uma série de sequenciadores baseados em regras discretas escritas exclusivamente usando o programa Max/MSP.
UM SOLO SOBRE BROTHER
Dança Contemporânea
DATA
HORARIO
LOCAL
02 Jun 2018
19:00 - 19:45
Museu (Sala de Madeira)
Marco da Silva Ferreira
Parceiro: Rivoli-Teatro Municipal

Um solo sobre Brother” é uma espécie de conferência performativa, centrada na peça de dança "Brother”, onde Marco da Silva Ferreira combina dois tempos e dois espaços: o da peça em palco e o da peça fora de palco. 

Numa apresentação a solo, cria interpolações à criação original para revelar porções do processo de composição, elabora discursos paralelos sobre as suas motivações e, em simultâneo, revisita os intérpretes em cena através do seu corpo. 

Marco da Silva Ferreira é intérprete de dança desde 2008 e estreou-se como coreógrafo em 2012 com "Nevoeiro 21”. Desde então, apresentou vários espetáculos, sendo que o seu último trabalho, "Hu(r)mano” (2014) recebeu o prémio de "Jovem Criador Português 2015”.

HAILU MERGIA
Música
DATA
HORARIO
LOCAL
02 Jun 2018
19:00 - 20:00
Prado
O início da carreira de Hailu Mergia remonta aos anos 1970 e transporta-nos para a Etiópia, onde este era líder da famosa banda Walias Band durante o período da revolução etíope e do seu trágico rescaldo. Em 1981, e também como forma de fugir a um regime ditatorial hostil, o grupo partiu em digressão para os Estados Unidos, acabando Mergia por decidir aí permanecer.

Desde que emigrou da Etiópia e construiu uma vida em Washington, D.C., onde ainda hoje trabalha como taxista de aeroporto, a carreira de Mergia seguiu uma trajetória modesta. Longe dos fãs em casa, o alcance da produção que conseguia manter acabaria por se contrair até a um pequeno circuito de amigos.

Mais recentemente, após ter sido localizado e ter iniciado a colaboração com a editora Awesome Tapes From Africa, Mergia conseguiu juntar bandas com a ajuda de agentes e músicos na Europa e nos EUA, permitindo-lhe traçar um novo caminho. Agora com uma ampla audiência de novos ouvintes em diversos locais um pouco por todo o mundo, aos 71 anos, Mergia está de retorno e não parece abrandar. Após o regresso aos palcos em 2013, no início deste ano lançou o seu primeiro novo álbum em mais de 15 anos, ”Lala Belu”. Ele reflete o notável ressurgimento da carreira de Mergia, iniciado com a reedição do onírico "Hailu Mergia and His Classical Instrument”, seguido pelo enorme sucesso de sua obra-prima seminal de Ethio-jazz "Tche Belew”.

Enquanto as gravações antigas de Mergia são conhecidas pela sua qualidade inerentemente misteriosa e hipnótica, nas suas novas gravações ecoam os concertos ao vivo mais  recentes. Hailu Mergia traz a Serralves o seu novo trio com o qual celebra "Lala Belu”, num concerto tão inspirador quanto eletrizante.

Imagem (c) Piotr Gruchala