VOLTAR

Christeene
Imagem Preset XL
01 Junho
02:45
Música
Prado

Movido por uma visão queer radical e inclusiva, o artista e performer Paul Soileau criou Christeene, uma força firme e livre de resistência contra a homogeneização e classificações heteronormativas (existentes mesmo dentro de comunidades LGBTI), e simultaneamente, uma celebração de vozes, identidades e sexualidades marginalizadas.

Christeene é provocadora, irónica, feroz e desavergonhada. A Spin Magazine definiu-a como “uma mistura lunática de Alice Cooper e Hedwig (personagem do filme Hedwig - A Origem do Amor)”. O designer de moda iconoclasta Rick Owens, um de seus colaboradores de longa data, afirma: “Christeene, para mim, representa a alegria do abandono – o abandono da hipocrisia e a libertação da identidade e dos instintos primários, tão inocentes e encantadores. Há uma inocência ingénua na sua provocação, algo muito alegre e feliz no que ela faz. Christeene é teatro, uma composição de commedia dell’arte, kabuki, musicais hollywoodescos do Busby Berkeley, grande guignol... Ela é a reprovação do falso pudor, das falsas regras.” No electro-rap de Christeene encontramos tanto a cultura hip-hop como a atitude punk, tudo com doses generosas de humor. As suas performances ao vivo alinham-se pelo imaginário que também encontramos nos seus impressionantes vídeos. Delas esperamos danças frenéticas e angustiadas, sexualidade descarada, fluidez de género, cenas macabras, intimidade confessional, figurinos feitos com restos descartados, e discursos acesos sobre o estado do mundo. Muito se continua a dizer e a escrever para definir a complexidade deste/a invulgar artista, drag queen, cantor/a e compositor/a. Mas o melhor é mesmo ver o seu espetáculo ao vivo e cada um decidir por si!